22 de mai de 2017

GIANT JELLYFISH; A BANDA DE ROCK QUE ACORDA A CIDADE

                                                                                                                       Foto - Leandro de Villa

Na noite de sábado, decidi ir a pé até o Cactus, em Santo André, onde haveria a pauta da vez...
No caminho até o bairro do Bangu, durante os 30 minutos que andei entre minha casa e la, vi a noite ser nostálgica, mantendo os ares da província que Santo André ainda é, e que a gente insiste em refutar, em dizer não é mais assim. Todavia, as portas fechadas de todos os comércios da rua oratório, mais o silêncio das casas e dos becos, se faziam por afirmar:
Santo André, ainda tem sua porção provinciana.
Mas não é de todo ruim...
O tempo das horas nas províncias é mais lento, a bruma é erma e uma boa caminhada clareia bem o que se quer, o que se pensa, o que se deseja.
Naquela noite, por exemplo, eu queria ver uma banda de rock. E quando o Giant Jellyfish ligou seus amplificadores para cometer o rock eu vi. Caras, eu vi uma banda de rock...


TEKA E OS MENINOS ROQUEIROS...

Quando cheguei no Cactus fui recebido pelo forte abraço e pela Heineken gelada do amigo Álvaro. Entre um gole e outro Teka Almeida chegou.
Menina de rosto meigo, com jeito de personagem de um livro do Herman Hesse, delicada e quase tímida, foi ela que me ajudou a chamar os outros meninos que forma a Giant Jellyfish; Rafa Almeida, Leandro de Villa e Tiba. Sentamos em uma mesa e batemos um papo pouco antes de tudo começar.
Entre risos, um tanto tímidos, no começo um pouco nervosos, eles me falaram de suas composições, a forma como trabalham as músicas. Me contaram o quanto se divertiam com a banda, com o lance de sair por ae a mostrar o trabalho e que estavam gostando muito disso.
Decidi não alongar muito a coisa. Faltava pouco tempo para a o show começar e então os deixei a vontade. E quando veio os primeiros riffs de “Repentant Dog” nada mais foi como antes na noite Andreense.
A província acordou! O Giant Jellyfish entrava em ação...


UMA CHICOTADA DE ROCK’S NA NOITE ANDREENSE...

Esqueçam o rosto que era tão somente meigo, que eu lhes falei!
Quando o jorro de riffs da guitarra poderosa de Rafa Almeida, preenche todo o espaço possível, Teka inicia uma performance de palco forte, poderosa, uma entidade xamânica a acompanha enquanto ela desce a mão em seu teclado para abrir o show uma paulada sonora, um hardão de fazer jus a Free, Hot Tuna e afins.
A banda abre o show para acabar com tudo que se pretendia em se tratando de ermo e apenas sossegado...
O Giant Jellyfish sobe ao palco para acabar com o sossego dos acomodados. Era a hora do rock rolar e não ia ser pouco...


EM TRANSE...

“Choices” um folk com ares de anos 90, ou, o folk rock possível para os anfetaminicos anos 90, um som cheio de guitarra, microfonia, distorção e o diabo, é vociferado por Teka. Um tempo em que todos os queixos caem, todos os drinks ficam suspensos.
Impossível não para ver os garotos cometendo o rock.
A catárse segue. “Smokey Mary”, “Knifes Cutting Edge”, “Emotional Rollercoaster”, “Dusting Dreams”, “Run Away Baby”, “Live Long Enough”… Todas! Não da para pegar uma, ou duas, ou quarto músicas para destacar. O show todo do Giant foi absurdo de bom!
Um transe pleno, comandado por uma enxurrada de riffs em fúria de Rafa Almeida, slaps de Tiba e todo vigor da bateria de Leandro de Villa... Os garotos encantaram toda a platéia que esteve no Cactus no sábado à noite.
No final, meio que atordoado saí sem me despedir da rapaziada, decidi fazer o mesmo caminho a pé pelos 30 minutos que me separavam da minha casa. E sem perceber, eu tinha um riso na cara. Devo ele ao show do Giant Jellyfish.

Um puta Show!


11 comentários:

SILVIA MARIA RIBEIRO disse...

que page que page!!! adorrando... abração

Aline disse...


​Não tem como ver um show deles e não ficar de queixo caído com a performance da banda. A Teka tem uma presença de palco inconfundível. Como mulher, observo e penso: queria ser essa mina. MUITO FODA!​

MARCELO MENDEZ disse...

Bom te-las por aqui, Queridas.

Obrigado Silvia, Obrigado Aline

Anônimo disse...

É isso ai, puta show, isso que estão evoluindo, aind vão voar muito alto!
Viva jely jely!

Anônimo disse...

esse show foi show!! giant jellyfish

Tiba disse...

Veleu gente, agradecemos de coração!

Rafa Almeida disse...

Valeu Marcelão !! Que texto sensacional , lendo agora suas palavras, dá pra sentir como se estivesse no Cactus de novo e todo o clima rolando, de arrepiar a pele ! Demais seu estilo de escrever música, praticamente um Lester Bangs andreense.
Muito obrigado a você, e a cada um dos que estiveram lá com a gente, isso faz valer todo nosso esforço e nos inspira a continuar fazendo cada vez mais e mais barulho !!!

MARCELO MENDEZ disse...

Rafa Querido... Eu que te agradeço demais!

Obrigado

Teka Almeida disse...

Aline, sua linda, obrigada!!! Marcelo, querido Lester Bangs tupiniquim, obrigada mil vezes! Valeu novamente a todos que foram e, por antecipação, a todos que virão! E que seja cometido muito rock por aí, se faz necessário! Beijos!

MARCELO MENDEZ disse...

Teka Queridaaaa

Teka Almeida disse...

;)