12 de jan de 2008

ALGUMAS REFLEXÕES DE SEXTA FEIRA; ELUCUBRAÇÕES NO HORÁRIO "NOBRE" DA TV ABERTA...

E que acontece de novo na República Federativa Das Bananas? Bem...
O Santos contratatou Marcinho Guerreiro (Que tem como principal inimigo de suas batalhas, exatamente a bola...), Na novela das oito na Rede Globo de televisão, o autor criou um Hugo Cesar Chaves, que atende pelo nome de Juvenal Antena, a mocinha mais gostosa do Big Brother não quer dar pra ninguém, no Telecine passa Claude Chabrol, no CCBB, tem Bang-Bang, do Andrea Tonacci e minha amiga Giuliana diz que sou elitista. Ai, ai...
Quanto ao Chaves/Fagundes; Não morro de amores pelo sujeito. Aliás, para mim, não há diferença nenhuma entre um ditador e outro, ou seja; Pouco importa se um tortura, assassina e mata e outro, é populista, previsivel e louco. Ambos são tiranos. Se perpetuam no poder as custas da pobreza, da ignorância e porque não, através da boa fé do povo para disseminar o seu complexo de Nero, ou senão, via força, debaixo de choques elétricos, pau de arara, fuzilamentos e decretos, ou "AI's", como queira.
No entanto, vejo com o mesmo nojo, uma emissora de televisão, um grupo falido, caloteiro e quebrado, que vestido com o smoking da democracia, alardeia uma cruzada hipócrita, calculada e sistemática sem a menor coragem de vir a público e dizer; "O Chavez nos incomoda e detestamos ele." Não. Ao invés disso, "Somos isentos e nos atentamos apenas aos fatos". Porra nehuma! Nunca os olhos do mundo se voltaram para a Venezuela para tentar entender o que acontece por lá. A pobreza daquele povo, nunca conseguiu 30 segundos do Jornal Nacional para que soubessemos o que rola por aquelas terras e nenhum enviado especial quer saber o que pensao povo pobre de Maracaibo, por exemplo. E vejam, se hoje a coisa é diferente, até que ponto o Chaves tem mérito nisso? Mérito?? Sei lá...
Sei que, maluco por maluco, prefiro um que seja latino e camponês, a outro, texano e idiota. Seja lá como for, nenhum dos dois é um maluco jungano como bem obervou minha amiga Livia em outras circustâncias.
E Chabrol no Telecine? Legendas em português, dublagem em inglês! Depois eu que sou chato...
O Tonacci no CCBB era uma boa pedida mas, atividades pouco cristãs e muito prazerosas, me impediram de assisti-lo novamente. Dei um jeito. Fui até aos incrivelmente olhos azuis de Giuliana e pedi o velho vhs emprestado. A linda amiga, resolveu então dar uma alegria a esse pobre e velho roqueiro e me convidou para entrar e assistir com ela. Maravilhoso exercicio de cinema, inventivo, experimental e inovador com uma atuação impecável de Paulo Cesar Peréio. Que filme! Ao término do mesmo a televisão caiu no então afamado Big Brother Brasil.
A Giuliana me falava dos encantos da mocinha do programa que não queria dar pra ninguém, de um psiquiatra que vive o drama de revelar ou não sua sexualidade para os 14 membros da casa, embora tenha revelado para todo o Brasil e mais uma outra série de assuntos que envolvem a tal casa global. Fiz um comentário, ou um gesto de indiferença e minha amiga mandou essa:
"Da pra deixar de lado esse asco todo das coisas populares, senhor Marcelo? Você mesmo ja escreveu sobre uma série de circustancias que levam esse povo a ver esse tipo de coisa, inclusive, inocentando-os! Agora, quando te faço um cometariozinho, você me responde com essa cara de Regis Debret e empina o nariz! Qual é, Basco?"
Bom... Não sei até que ponto esse tipo de programa é "popular". Aqui no do Parque Novo Oratório, nunca vi ninguém. É claro que de vez em quando alguém do subúrbio do Rio aparece por lá para contrariar a regra, mas nunca, esse mesmo vivente passa pela peneira global. É sempre um sorteio, um concurso, algo pra mostrar que o povo participa sim, ô... Não tenho cara de Debret, porque ele era um demonio de feio. Apenas defendo meu direito de não ser politicamente correto, nem de fazer a alegria da meia dúzia boazinha que passa a mão na cabeça do povão contemporizando tudo quanto é coisa. Digo sim o que penso, sem me preocupar no quanto isso pode ou não ser relevante a outrem. Finalmente...
Espero que os Templários modernos me entendam...

Um comentário:

Suzana disse...

adrável seu texto, má... Que gostoso ver essa sua veia ácida a todo vapor, nêgo.

beijo, amor